..:::TVALSOL:::..

Nacionais

Régis Soares conta como é viver de arte na PB e já espera entrar para o Guinness

Produzir arte já virou um costume, para mim é um prazer

     Há quase 33 anos levando a arte ao cotidiano da população pessoense, o chargista Régis Soares, idealizador do projeto “Charges na Rua”, revelou em entrevista ao Portal WSCOM acreditar que a inabalável periodicidade do seu trabalho poderia lhe render uma publicação no Guinness World Records, famoso registro de recordes mundiais.

 O artista avalia que seria muito difícil outro artista no mundo publicar o mesmo tipo de conteúdo diariamente, com o mesmo impacto direto a população de uma cidade. Soares ainda espera um reconhecimento maior pelo trabalho realizado com tanto esmero na Capital pessoense.

 “Ainda não registrei [no Guinness], mas estou procurando como fazer. Já vai para 33 anos deste trabalho e no mundo não existe outro, tem que ser uma coincidência grande. Também gostaria de um reconhecimento a nível nacional, é melhor fazer antes de morrer, porque depois de morto não tem graça”, disse.

 O artista comentou que a motivação da sua produção é simplesmente o gosto pela coisa. Ele mantém o compromisso de conscientizar o público com o seu trabalho, sempre politizado e atual, e continua no pique com novos desenhos que saem do seu ateliê, no bairro da Torre.

 “Produzir arte já virou um costume, para mim é um prazer e sabendo que estou colocando na rua para uma população imensa, um público incalculável, é uma satisfação grande. Estou dando uma contribuição, tenho consciência do meu trabalho e do público que gosta. Tenho o compromisso de manter o diálogo com o público na rua”, continuou.

 Já conhecido do público paraibano, Régis conta ainda que seu maior orgulho é a criação dos filhos, feita através dos ganhos com a sua arte. Ele relata que já perdeu clientes por seu tipo de abordagem, mas isto não o abala.

 “Eu vivo só de arte, para mim dá certo, não é fácil pois eu tenho um trabalho crítico e já perdi muitos clientes dentro do Governo e Prefeitura, pelas pessoas que assumem cargo e tem medo de dizer que encomendou um trabalho meu, mas isso é besteira, muita gente me conhece e encomenda meu trabalho. Já fiz o mais difícil na minha vida, estar com uma filha terminando um doutorado, um filho formado no ramo de design, e isso já é uma grande coisa, como minha esposa dizia, o bom é ter os filhos encaminhados, o grade compromisso que tínhamos, ela e eu, e deu tudo certo”, confidenciou.

Página:

http://tvalsol.com.br/noticia/nacionais/2017/12/28/regis-soares-conta-como-e-viver-de-arte-na-pb-e-ja-espera-entrar-para-o-guinness/908.html